Discursos e música marcam inauguração do Bacharelado em História, em Icó

A aula inaugural do curso de Bacharelado em História com ênfases em gestão do Patrimônio Histórico e Cultural e gestão do Patrimônio Socioambiental, do Instituto de Estudos do Semiárido [IESA], da Universidade Federal do Cariri [UFCA], foi realizada, segunda-feira, dia quatro, no município de Icó, a 166 quilômetros de Juazeiro.

O cenário não poderia ser mais adequado para o lançamento do curso: o Teatro da Ribeira dos Icós, o primeiro do Ceará, construído em 1860 pelo médico Henrique Théberge, na fase áurea da criação de gado.

Tanto o vice-reitor, professor Ricardo Luiz Lange Ness, quanto a diretora do IESA, Polliana de Luna Nunes Barreto, destacaram o patrimônio histórico da cidade e enfatizaram, em suas falas, a ação transformadora que a instituição irá implementar em Icó nos próximos anos. A plateia foi formada por estudantes, professores e diretores de escolas da rede municipal de ensino, membros da administração superior da UFCA e autoridades de Icó.

O vice-reitor disse que, além do ensino, a UFCA interagirá com a comunidade, através da pesquisa, extensão e cultura. “Essa ação transformadora não será num piscar de olhos, mas, depois de alguns anos, talvez depois de formada a primeira turma, será percebida”.

Disse ainda que Icó, além dos seus belos monumetos históricos, é um laboratório a céu aberto, principalmente nas áreas de agricultura e piscicultura, campos econômicos que serão beneficiados com os novos cursos a serem criados pela instituição. Ele fez um breve histórico da criação da UFCA, lembrando que ela traz o DNA da Universidade Federal do Ceará - UFC, instituição sexagenária que ocupa, hoje, o décimo lugar no ranking das universidades brasileiras e convocou os presentes, principalmente os estudantes e professores, a se engajarem nessa história. “Sintam-se fazendo parte dessa universidade. Não olhamos para o retrovisor, mas sim para o futuro que, tenho certeza, será de avanço na vida de todos”.

A diretora do IESA, professora Polliana de Luna Nunes Barreto, enfatizou que a UFCA não trará apenas formação de nível superior, “mas abrirá amplas perspectivas de pesquisas que possam apresentar soluções aos problemas da região. Vem possibilitar a extensão através de trabalhos concatenados com as necessidades da comunidade local, cumprindo, assim, a responsabilidade social desta IES”.
“O Vale do Salgado e o município de Icó são um rico território com sua história, seu patrimônio ambiental e suas manifestações culturais. Por isso, é urgente unir esforços no sentido de dar o tratamento justo à tamanha riqueza. É com o compromisso de discutir a viabilidade de um desenvolvimento includente e equitativo que o IESA e o Bacharelado em História, bem como os demais cursos que venham a ser criados, instalam-se nesta região”, afirmou a professora Polliana. Ela ressaltou também que serão firmadas parcerias com organismos nacionais e internacionais que ampliarão as perspectivas de atuação dos discentes.

Falaram ainda, na aula inaugural, a coordenadora de fomento da Pró-Reitoria de Extensão, Rosane Nunes, a Diretora de Assistência Estudantil, Cláudia Araújo Marco, o professor do curso de História, Jucieldo Ferreira Alexandre, e o prefeito de Icó, José Jaime Bezerra Rodrigues Júnior. Compuseram também a mesa o chefe de gabinete da UFCA, professor Marcelo Bezerra, o vice-diretor do IESA, professor Ives Romero Tavares do Nascimento, e a docente do curso de História da UFCA, Priscila Régis Queiroz.

A solenidade também foi pontuada por apresentações musicais. Logo no início, o grupo musical “Canela Preta”, de Icó, [nome oriundo do Sobrado Canela Preta, construído no final século XIX na fase áurea da civilização do couro, moradia do sargento-mor João André Teixeira Mendes, conhecido como Canela Preta, onde, hoje, abriga o núcleo de música da cidade.], tocou músicas da Bossa Nova. Ao final, o coral da UFCA, regido pelo maestro Márcio Mattos, interpretou canções da Música Popular Brasileira – MPB, como “Primavera” e “Você”, de Tim Maia, “Caçador de mim”, de Milton Nascimento, e “Lata D'Água”, interpretada por Marlene. O coral foi aplaudido de pé entre fogos de artifício.

* Com informações da UFCA Notícias
Publique no Google Plus

Publicado por IN

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Comentar no Site
    Comentar usando o Facebook

0 comentários :