Estação de piscicultura Pedro Azevedo, de Icó, atinge produção de 485 mil alevinos em maio

A produção de alevinos nas quatro Estações de Piscicultura administradas pela Coordenadoria Estadual do Ceará [Cest/CE], do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas [DNOCS], atingiu a marca de 1.975.750 espécimes em maio deste ano. 

Ao todo, neste período, as Estações de Pedro Azevedo [Icó], Osmar Fontenele [Sobral], Complexo Castanhão [Jaguaribara] e Amanarí [Maranguape] realizaram 48 peixamentos distribuídos em açudes públicos, privados, e viveiros e tanques-redes particulares.

De acordo com a Dnocs, a estação de piscicultura Pedro Azevedo, de Icó, distribuiu 485.500 alevinos em dois açudes públicos, 20 açudes particulares, oito viveiros particulares e um tanque-rede particular.

O peixamento é uma operação que tem por fim o povoamento, o repovoamento e a estocagem de alevinos, que são filhote de peixe, na fase de vida imediatamente posterior à pós-larval e anterior à juventude. 

A maior quantidade de distribuição de alevinos foi observada no Complexo Castanhão, somando 1.005.000 no total. Na região também foram realizadas 18 orientações técnicas para piscicultores e pescadores. As estações Osmar Fontenele e Amanarí distribuíram, respectivamente, 396.050 e 30.000. Nas três estações também foram efetuadas 25, 22 e 5 orientações técnicas, respectivamente.

Entretanto, o engenheiro agrônomo e chefe do setor Técnico de Aquicultura da Cest/CE, Vicente Giffoni, explicou que os números de distribuição estão abaixo do esperado devido à situação dos açudes das regiões onde estão localizadas as Estações de Piscicultura. A falta de chuva e o baixo nível dos reservatórios estão prejudicando a produção de alevinos. Apenas o Complexo Castanhão está com a produção normalizada.

Vicente ressaltou que se a estiagem continuar, a tendência é que a distribuição de alevinos seja ainda menor. “O principal problema não é a produção e sim a distribuição. Muitos açudes não recebem mais alevinos porque os níveis de armazenamento de água não comportam a produção. O Amanarí, por exemplo, está apenas com cerca de 4% de sua capacidade total”.


QUANTIDADE DE PEIXAMENTOS EM MAIO

- Pedro Azevedo

Açudes públicos (02)

Açudes particulares (20)

Viveiros particulares (08)

Tanque-rede particular (01)

- Osmar Fontenele

Açudes públicos (02)

Açudes particulares (06)

- Complexo Castanhão

Açudes públicos (06)

Açudes particulares (01)

- Amanarí

Açudes públicos (02)



Publique no Google Plus

Publicado por Jornalismo

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Comentar no Site
    Comentar usando o Facebook

0 comentários :