Diário do Nordeste destaca trabalho do "É O Bicho" em prol dos animais abandonados em Icó

Acolher e cuidar de cães e gatos abandonados nas ruas de Icó. A luta diária em favor dos animais encontrados nas vias do município de Icó foi destaque no caderno Regional do Diário do Nordeste desta terça-feira [15].

A reportagem assinada pelo repórter Honório Barbosa destacou a atuação da entidade "É O Bicho", que busca dias melhores para as criaturas que ficavam ao léu nas ruas e avenidas de Icó.

Atualmente, 22 cães estão recolhidos provisoriamente abrigados nas obras da futura sede da CDL, próximo ao centro da cidade. Veja abaixo a matéria completa.

CENTRO-SUL - Grupo de voluntários em Icó ampara animais abandonados - Entidade "É o Bicho" foi criada para que pessoas pudessem acolher e cuidar de cães e gatos encontrados nas ruas
  
Icó. Nas cidades do Interior é comum a presença de animais de rua e abandonados. Diariamente, moradores cruzam com cachorros e gatos. Alguns sofrem maus tratos, estão doentes e precisam de cuidados. Nesta cidade, na região Centro-Sul do Ceará, um grupo de voluntários criou em março passado uma instituição que ainda está na informalidade, "É o Bicho". O objetivo é recolher, alimentar, cuidar e dá afeto aos bichinhos.

A experiência inovadora na região vem despertando a atenção de pessoas que gostam de proteger animais de estimação em situação de abandono. O grupo de voluntários reúne dez pessoas. Oito são mulheres. Dentre elas, duas já faziam um trabalho individual, em suas casas, acolhendo cães e gatos que perambulavam pelas ruas: Marconiza Brasil, secretária da Câmara de Dirigentes Lojistas [CDL] e Vânia Torres, atendente de consultório médico.

No início deste ano conversaram sobre a ideia de abrir um abrigo para os animais e ampliar as ações de proteção. O projeto começou a ganhar fôlego e se tornou real. As primeiras dificuldades foram vencidas com força de vontade e determinação. Logo apareceram outros voluntários. Os cães estão provisoriamente abrigados nas obras da futura sede da CDL, próximo ao centro da cidade.

O serviço de construção civil está paralisado temporariamente e o espaço foi cedido pela atual diretoria. Atualmente, são 22 cães. Alguns chegam vítimas de espancamento, atropelamento e doentes com micose, sarna, carrapatos e outros problemas. 

O projeto ganhou apoio integral da veterinária Renata Sá, da Clínica e Casa Veterinária Senhor do Bonfim. "Os animais recolhidos são avaliados, passam por diagnóstico da médica veterinária, recebem medicação e acompanhamento", explica Marconiza Brasil.

REVEZAMENTO - No abrigo, o trabalho voluntário começa cedo, por volta das 6 horas da manhã. O grupo faz revezamento no serviço de alimentação à base de ração, aplicação de medicamentos. Ao fim da tarde, é feita uma faxina geral para limpeza da área e recolhimento de fezes. São necessários 125 quilos de ração por mês. "Tudo é doado por pessoas que compreendem a importância do nosso trabalho e têm carinho por animais", explica a psicopedagoga, Dannuzia Oliveira.

Os animais são vacinados e passam por castração medicamentosa para evitar a reprodução. O grupo mostra-se preocupado não apenas com a necessidade de encontrar um novo abrigo, mas com as doações. "Temos um estoque mínimo, mas sempre precisamos de mais ração, produtos de limpeza", observa Vânia Torres. "Muitos estão atendendo o nosso pedido, aderindo às nossas campanhas".

A determinação é legalizar a entidade, fazer o registro em cartório e constituir uma instituição sem fins lucrativos e de proteção aos animais. "Vamos formalizar uma associação e a partir da legalidade poderemos receber doações de empresas", disse Marconiza Brasil. "Já temos apoio de um advogado e de um contador, que vão fazer o serviço também de forma voluntária".

APROVAÇÃO - A Câmara Municipal de Icó já tem dois projetos aprovados por iniciativa do vereador, Víctor Luís Monteiro. Um prevê a criação de um serviço municipal de proteção aos animais e outro, a construção de um canil. As duas matérias tiveram aprovação unânime, mas ainda não saíram do papel. "Já conversamos com o prefeito, secretários municipais, mas eles alegaram dificuldades em nos dar apoio", lamenta Marconiza Brasil. "Vamos continuar lutando, esperando pelo apoio institucional da Prefeitura".

Animais soltos nas ruas sofrem com a situação de abandono, ficam doentes, e trazem risco para a saúde pública. "Quem quiser adotar um desses animais é só entrar em contato com a gente", explica a médica, Denise Farias, que começou fazer estudos de residência médica em Fortaleza e encontra tempo para apoiar a iniciativa local. "É um trabalho voluntário muito bonito e que precisa ser apoiado e ampliado", defendeu. A comerciária Aline Souza disse que sempre foi apaixonada por bichos e que o trabalho é recompensado pelo carinho que recebe dos animais.

Quem permanece no abrigo por alguns minutos logo percebe o semblante de alegria e o entusiasmo do grupo de voluntários. Os animais cercam os visitantes, demonstram afeto, pedem atenção e retribuem com carinho.

Pedro Henrique Cândido de Oliveira, comerciário, faz os serviços gerais, retira água do poço e cuida da limpeza do local. "Os vizinhos não reclamam. Já foram consultados e também estão nos apoiando", assegura Vânia Torres.

A mobilização tem contagiado moradores da cidade. Todos estão mobilizados no trabalho voluntário de proteção aos animais de rua e abandonados, dando-lhes alimentação, cuidando de suas doenças e, sobretudo, expressando carinho e afeto. "Esperamos contar com a sensibilidade, o apoio da gestão municipal", finaliza a universitária, Tairine Souza.

Mais informações:
É o Bicho, em Icó
www.facebook.com/eobichoicoceara
Telefones: [88] 3561. 1782; [88] 9989. 2345 e [88] 9827.3876
Publique no Google Plus

Publicado por Jornalismo

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Comentar no Site
    Comentar usando o Facebook

0 comentários :