IV Dia do Vaqueiro Icoense: Centenas de vaqueiros são esperados em cavalgada realizada em Icó

Os carros, motos e pedestres darão lugar aos cavalos nas principais ruas e avenidas de Icó, que irão receber o cortejo da cavalgada no IV Dia do Vaqueiro Icoense, na manhã deste sábado, 07.

O evento é realizado anualmente pela Associação Filhos e Amigos de Icó [AMICÓ] e retomou uma comemoração que não acontecia desde 1941. 

Retomado em 2011, a cada edição crescer a quantidade de participantes. Neste ano, são esperados cerca de 150 cavalos de Icó e municípios próximos. 

A Cavalgada tem início com uma concentração de cavalos na rua Desembargador José Bastos, a partir das 7h, onde os animais ficam em áreas sombreadas por tamarindeiras bisseculares, até o horário da saída marcado para as 8h30 em direção ao Parque de Vaquejada Nana Perotto, parceiro do projeto. Durante o trajeto, aboios, declamações e músicas farão parte do percurso.

HOMENAGENS, MEIO AMBIENTE E ACOLHIMENTO - Na chegada da cavalgada, os vaqueiros e demais participantes que acompanham o trajeto serão recepcionados com uma bênção em ação de graças e homenageado os vaqueiros idosos Antônio Fialho, José Cândido e Neco Pontes, que prestaram relevantes serviços à sociedade.

Além deles, será realizada uma homenagem póstuma a José Domingos de Morais, o Dominguinhos, que faleceu no ano passado e carregou em suas composições e interpretações a lida do homem do campo, em especial do sertanejo nordestino.

Outro ponto que integra a programação diz respeito ao Meio Ambiente, onde haverá a distribuição de sementes e plantas nativas da caatinga, como o Ipê Roxo, em uma parceria com o CVT de Icó. Ainda haverá um almoço a todos os presentes e o forró pé-de-serra do "Som do Nordeste", da zona rural de Icó.

VAQUEIRO ICOENSE - Realizado em 25 de outubro de 1941, no aniversário do Município, pelo então intendente de Icó, Danilo Prado, o evento reverenciava a figura que formou o povoado do Icó no século XVIII, que tornar-se-ia mais tarde Vila e Cidade.

O fato foi vivido e contado pelo historiador local Miguel Porfírio [in memoriam] e passou durante 70 anos sem realização, até o ano de 2011, quando a AMICÓ retomou a reverência a um dos pilares da construção do povoado à margem do Salgado, que cresceu através da criação do gado e comercialização do charque.

O registro mais antigo do trabalho do vaqueiro em terras icoenses é de 1719 quando, nas imediações de Icó, já haviam fazendeiros com quatro mil rezes. 

Da ribeira, a produção era destinada à Aracati [CE], um dos principais portos da época, além dos estados de Bahia, Pernambuco e Paraíba. O fato tornou, na época, as terras icoenses um entreposto comercial da província do Siará.

MARCA DO EVENTO - A partir da edição deste ano, o IV Dia do Vaqueiro Icoense criou  uma logomarca fixa com a identificação do evento feito por letras de marcar o gado e ao redor do nome da cavalgada apresenta um círculo que remonta à época das boiadas e representava a marca do gado do Icó, que na época era conhecido como Icó de Nossa Senhora do Ó, hoje Nossa Senhora da Expectação.





INFORMAÇÕES:

IV Dia do Vaqueiro Icoense
Associação Filhos e Amigos de Icó
Icó, Ceará
Site: www.vaqueiroicoense.com
Telefone: (88) 9943-5835 / 9212-9845
Publique no Google Plus

Publicado por Jornalismo

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Comentar no Site
    Comentar usando o Facebook

0 comentários :