João Jaime diz que Governo não ouve sugestões para segurança

Durante o tempo de liderança da sessão plenária do último dia 10, o deputado João Jaime [DEM] rebateu o deputado Tin Gomes [PHS], que falou que parlamentares da oposição fazem críticas e não oferecem sugestões para solucionar o problema da violência no Estado.

João Jaime afirmou que o deputado Ely Aguiar [PSDC] trouxe vários projetos à Casa, e todos foram rejeitados, e que o Governo nunca aceitou sugestões da oposição, nem da base ou de especialistas.

O parlamentar enfatizou ainda que não se pode adotar um discurso focado no futuro da segurança e esquecer o que passou, pois para as vítimas da violência, que perderam entes queridos, não é possível esquecer o que já passou.

O deputado criticou os resultados do Governo na área e afirmou que, passados mais de sete anos de mandato, o governador não pode mais argumentar que encontrou a segurança sem infraestrutura, pois já teria dado tempo de fazer as mudanças necessárias.

Sobre os dados que informam a diminuição do número de furtos, João Jaime acredita que não se pode comemorar essa queda. Segundo ele, “os dados de furtos são comemorados, mas ninguém mais faz Boletim de Ocorrência [BO]. Tem delegacia que não tem escrivão. Algumas pessoas passam cinco horas para fazer um BO. Quarenta por cento dos assassinatos ficam no BO”.

O deputado criticou os investimentos e as ações do Governo na área. “Não devia ter comprado tanto carro caro, colocado coronel para ser secretário, dividindo a tropa, causando problemas que até hoje existem”. João Jaime criticou também a falta de profissionais para atender em delegacias do Estado, especialmente no Interior. Ele afirmou que o governador gastou na construção e reforma dos prédios, mas muitos deles não têm sequer um escrivão ou um investigador.

Em aparte, o deputado Tin Gomes afirmou que o Governo tem sete mil homens na polícia e mais de mil delegados e que se leva tempo para fazer concursos e formar os oficiais. Segundo ele, a polícia enfrenta ainda o problema de falta de vocação de muitos dos aprovados, que têm interesse apenas em passar em concursos.

Roberto Mesquita [PV] também pediu aparte para ressaltar que a segurança e o Ronda do Quarteirão foram o mote da campanha do Governo e afirmou que Cid Gomes “se enganou, enganou o povo e não tem humildade de pedir perdão”. 


* Com informações da Agência de Notícias da Assembleia Legislativa
Publique no Google Plus

Publicado por Jornalismo

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Comentar no Site
    Comentar usando o Facebook

0 comentários :