Deputados recebem representantes de entidades em defesa da juventude

Representantes de 16 entidades ligadas à Jornada Nacional de Lutas da Juventude Brasileira foram recebidos, na tarde desta terça-feira [1º], pelo primeiro vice-presidente da Casa, deputado Tin Gomes [PHS], e pelos parlamentares Lula Morais [PCdoB], Antonio Carlos, Dedé Teixeira e Rachel Marques [todos do PT]. 

No encontro, foram tratados temas como maioridade penal, defesa da mulher, instauração da Comissão da Verdade, cumprimento da meia-cultural, cotas raciais em universidades públicas e reforma política.

A Jornada Nacional de Lutas da Juventude Brasileira vem sendo organizada anualmente pelas entidades estudantis e movimentos sociais com objetivo de intensificar a pauta por melhorias na educação, na cidade e no campo, no transporte público, nas condições de trabalho, pelo fim do extermínio da juventude e mais direitos para os jovens.

Tin parabenizou a iniciativa dos jovens e ressaltou que vem contribuir com as debates realizados pelo Parlamento. O vice-presidente prometeu levar as pautas para discussão na Mesa Diretora. O deputado acredita que alguns temas têm o posicionamento favorável da Casa, mas por não serem de competência do Estado, a Assembleia procura interceder junto a esfera federal. “A defesa da mulher e a reforma política são exemplos que têm a aprovação dos deputados, mas é de responsabilidade federal”, esclareceu.

O representante da União Brasileira de Estudantes [UBES], Edvard Neto, destacou que o início das lutas vem compor um calendário de jornada da juventude, que trazem para debate diversos problemas sociais. O estudante criticou o posicionamento dos parlamentares que apoiam a redução da maioridade penal e disse que o poder público deveria ampliar o contato com os jovens brasileiros, trazendo-os para debates como esse. O jovem ainda parabenizou a iniciativa dos parlamentares presentes na reunião.

“Faltam políticas públicas e oportunidades para os jovens de periferia. O certo deveria ser o acesso ao esporte, cultura e educação. Trata-se de um problema social e não apoiamos a criminalização dos jovens”, afirmou o estudante. “Nos sentimos contemplados com a disponibilidade dessa comissão de deputados que nos atenderam, mas queríamos que a iniciativa partisse de todos eles”, pontuou.

Antonio Carlos disse ser favorável ao movimento e suas reivindicações que vêm por mostrar as diferentes opiniões sobre os assuntos discutidos. “O fundamental da Jornada de Lutas da Juventude é apresentar sua bandeiras, mostrar que existe uma parcela da sociedade, que não é mínima, que está contrária a pontos como a maioridade penal, diferente do que alguns deputados falam aqui”, enfatizou o petista.

Participaram da reunião representantes da União Nacional de Estudantes [UNE], da União Estudantil de Fortaleza (Unefort), do Conselho Nacional da Juventude, entre outras entidades.


* Com informações da Agência de Notícias da Assembleia Legislativa
Publique no Google Plus

Publicado por Jornalismo

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Comentar no Site
    Comentar usando o Facebook

0 comentários :