Número de pessoas presas por misturarem álcool e direção aumenta 36% em 2013

Em 2013, cresceu em 36% o número de pessoas presas por dirigirem alcoolizadas nas estradas federais. Foram 11.868 detidos contra 8.693 no ano anterior. 

Os dados foram divulgados pela Polícia Rodoviária Federal [PRF] nesta segunda-feira, 24 de fevereiro. O levantamento aponta, ainda, que aumentou em 22% o número de infrações relacionadas à direção sob influência do álcool, chegando a para 38.847 em 2013.

De acordo com a pesquisa, 160 mil automóveis envolveram-se em acidentes, resultando em 1.631 mortes. Destaca-se, ainda, a quantidade de mortes provocadas por acidentes de motos. As 31 mil motocicletas envolvidas em acidentes deixaram 1.620 vítimas fatais. 

“Para cada mil automóveis envolvidos em acidentes, tivemos dez condutores mortos. Para cada mil motos envolvidas em acidentes, foram 52 condutores mortos. Há cinco vezes mais chance de um motociclista morrer”, alertou o chefe da Divisão de Planejamento Operacional da PRF, inspetor Stênio Pires.

FISCALIZAÇÃO A PRF ressaltou que os testes de bafômetros foram intensificados em 2013, ficando 135% a mais do que em 2012, quando foram aplicados 648.505 testes. Os policiais rodoviários aplicaram 3,2 milhões de infrações em 2013. Dessas, 782 mil foram por dirigir em velocidade superior à máxima permitida em 20%; 325 mil por ultrapassagem proibida; 258 mil por dirigir em velocidade superior à máxima permitida entre 20% e 50% e 178 mil por falta de cinto de segurança.

“A PRF aumentou consideravelmente a fiscalização da alcoolemia [concentração passageira de álcool etílico no sangue]. Houve aumento de autuações e de pessoas presas, mas a gente tem verificado mudança no comportamento do cidadão no sentido de evitar beber e dirigir”, disse Pires.


* Com informações da Agência CNM e da Agência Brasil
Publique no Google Plus

Publicado por Jornalismo

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Comentar no Site
    Comentar usando o Facebook

0 comentários :