Mirian Sobreira destaca campanha pela participação da mulher na política

A deputada Mirian Sobreira [Pros] fez pronunciamento, na última quinta-feira [20], durante o primeiro expediente da sessão plenária da Assembleia Legislativa, para destacar a campanha lançada pelo TSE, “Mais Mulheres na Política”. 

Segundo ela, a iniciativa dá continuidade à campanha lançada em 2013 pelas mulheres da Câmara Federal, Senado e assembleias legislativas, com o nome “Mulher, Tome Partido”. A deputada pediu que a direção do Legislativo Estadual abra espaço nos meios de comunicação da Casa para essa campanha.

A parlamentar acentuou que, de 513 deputados federais, só 43 são do sexo feminino, representando 8,7%, e de 81 senadores, só 10% são mulheres. “Na Assembleia do Ceará, nove já assumiram cadeiras, uma das maiores participações femininas de todas as casas legislativas estaduais”, pontuou.

Mirian Sobreira avaliou que, no atual ritmo do crescimento da participação, só daqui a 150 anos a paridade de gênero será alcançada. “O Brasil é o 30º das Américas, de 35 países, em percentual de participação feminina na política. Na eleição de 2012, 134 mil mulheres se candidataram a prefeito e a vereador, mas só 8 mil tiveram êxito. A gente se preocupa com o pouco êxito da mulher na política do Brasil”, disse .

Na avaliação da deputada, a política ainda é uma atividade eminentemente masculina. “Somos a maioria nas universidades, nosso nível de instrução é maior do que o dos homens e a maioria dos empregos formais são de mulheres. Isso foi possível através do nosso esforço e nossa capacidade de conciliar a missão de cuidar da família com outros cargos”, disse.

Segundo Mirian, somente na política é onde a mulher encontra mais barreiras. “Enfrentamos muitos problemas. Nas campanhas, os partidos são obrigados a ter 30% de candidatas mulheres. Mas colocam as mulheres apenas para atender a cota, sem apoio nenhum. Nos partidos, não há nenhuma mulher participando das propagandas gratuitas fora do tempo eleitoral. A desculpa é que esqueceram na hora de elaborar o programa. Mas a gente não pode mais aceitar esse tipo de coisa” disse.

A parlamentar afirmou ainda que todas as mulheres sabem a dificuldade de ocupar cargos. “Os partidos só indicam homens para as posições. Precisamos participar da Mesa Diretora. Não é que nosso trabalho seja melhor ou pior que ninguém, mas precisamos de mulher na política, porque é aqui que as decisões são tomadas”, avisou.

Em aparte, o deputado Ferreira Aragão [PDT] disse que deveria haver um programa “Mulheres no Parlamento”, para dar um destaque especial ao trabalho parlamentar feminino. Segundo ele, a mulher é a grande novidade da política. “Nós temos de dar o espaço que a mulher merece. Podemos fazer divulgação na TV e na FM Assembleia”, avaliou.

A deputada Eliane Novais [PSB] disse que a mulher está em busca do espaço político, “dando todo o sangue”, para ter uma mandato ligado com a sociedade. “Nós mulheres temos um esforço coletivo. Esperamos que seja autorizada, na próxima gestão, uma mulher na Mesa Diretora da Assembleia”, cobrou. 


* Com informações da Agência de Notícias da Assembleia Legislativa
Publique no Google Plus

Publicado por Jornalismo

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Comentar no Site
    Comentar usando o Facebook

0 comentários :