Entidades cobram na AL-CE contratação de aprovados em concurso do BNB

A Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Assembleia Legislativa realizou, na última terça-feira [18], audiência pública para discutir a convocatória e nomeação dos aprovados no último concurso para técnicos e analistas do Banco do Nordeste do Brasil [BNB], realizado em 2010. 

Os trabalhos foram presididos pela deputada Eliane Novais [PSB], propositora do debate. 

O superintendente de Desenvolvimento Humano do BNB, José Alan Teixeira da Rocha, representou o presidente da instituição, Ary Joel Lanzarin. De acordo com ele, dos 6.600 aprovados no concurso de 2010, foram chamados 1.892. “Um número expressivo, levando em conta que hoje temos 6.484 funcionários na ativa”, defendeu. 

Ele disse que o banco passa por limitações impostas pelo Ministério do Planejamento no tocante à contratação. “Mas, dentro do limite, temos procurado fazer essas convocações. Em 2013, foram convocados 771. Agora, em 2014, já foram 306”, informou.

Ainda segundo Alan Teixeira, o banco aguarda o fim do prazo do Programa de Incentivo ao Desligamento [PID], previsto para 31 de março, para ter clareza quanto ao número de funcionários que precisará ser reposto. Ele falou também da criação de 112 novas unidades no Nordeste, das quais 64 já foram abertas. “Faremos um esforço concentrado em abril e maio para dar posse aos novos funcionários”, disse.

Eliane Novais indagou sobre a contratação de escritórios terceirizados em detrimento dos concursados. Segundo Alan, o processo tem ocorrido para a contratação de advogados, e não para cargos contemplados pelo concurso. “Não estamos descumprindo a legislação. Fazemos o que os demais bancos oficiais fazem”, respondeu, acrescentando que o Tribunal de Contas da União [TCU] validou essas contratações.

Maria Carmem de Araújo, da Comissão Nacional do BNB e diretora do Sindicato dos Bancários, disse que é contra o PID e qualquer plano de desligamento. Ela espera que os aprovados sejam contemplados com a criação de novos postos de trabalho, e não por reposição. “Chegamos em 2014, o prazo do concurso vai acabar, e essas pessoas vão fazer o quê?” 

Gustavo Machado Tabatinga Júnior, diretor jurídico do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários do Estado do Ceará [SEEB-CE], manifestou apoio aos aprovados no concurso. “É imoral você ter uma lista de aprovados em concurso e você colocar um terceiro para fazer o mesmo serviço”, condenou.

Valeska Oliveira de Sousa, secretária adjunta da Comissão de Direito do Trabalho da OAB-CE, disse que está à disposição e que vai acompanhar o processo até ter um desfecho.

Rita Josina Feitosa da Silva, presidente da Associação dos Funcionários do BNB, elogiou a iniciativa da deputada em colocar o assunto em debate na Assembleia. “Isso é importante para mostrar que o assunto está sendo tratado e acompanhado”. Ela reconheceu que o número de terceirizados hoje no BNB diminuiu em comparação a períodos anteriores. Mas defendeu a ampliação do quadro técnico como forma de contemplar os aprovados no concurso.


* Com informações da Agência de Notícias da Assembleia Legislativa
Publique no Google Plus

Publicado por Jornalismo

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Comentar no Site
    Comentar usando o Facebook

0 comentários :