Senadores querem solução para conter entrada de imigrantes haitianos no Acre

O governo do Acre vai pedir ao Ministério da Justiça que controle a entrada de imigrantes haitianos pela fronteira brasileira com o Peru. 

O senador Jorge Viana [PT-AC] alerta que a situação é gravíssima porque o estado não tem estrutura para receber o crescente número de imigrantes.

A situação é mais grave no município de Brasiléia, a 80 quilômetros da fronteira, por onde, segundo Jorge Viana, chegam até centenas de haitianos por dia. Ele diz que há uma rota ilegal de entrada, que passa pela República Dominicana, Panamá, Equador e Peru, até chegar ao Acre. Dez mil imigrantes entraram no Brasil pelo Acre em 2013, mas Jorge Viana adverte que a situação se agravou.

- O fato é que temos uma situação hoje incontrolável, porque cuidar de 1.200 pessoas num município com menos de 10 mil habitantes na cidade é praticamente impossível. São pessoas que chegam todos os dias; cem, duzentas pessoas por dia. O governo do estado, nenhum estado do Brasil tem equipe, estrutura e poder institucional para lidar com isso - afirma o senador.

Viana pede uma ação urgente dos ministérios da Justiça e das Relações Exteriores.

- Chegou-se a uma situação em que o governador do Acre, Tião Viana, e o secretário de Direitos Humanos, Nilson Mourão, têm medo que ocorra algo que saia do controle. Imagina você ter que dar café da manhã, almoço, janta e dormida para, ontem, 1.200. Hoje não sei se são 1.300 ou 1.500 pessoas. Como a gente não controla o número de pessoas que chega, não tem também como dar o acolhimento digno que a gente vinha dando.

De acordo com Jorge Viana, quem sabe lidar com refugiados é o Conselho Nacional de Refugiados.

– O Brasil criou uma política de entrada de haitianos pela porta da frente, mas eles teimam, e o número é enorme, vindo de uma rota ilegal. O fato de o Brasil ser hoje uma referência no mundo nos põe diante de problemas que não conhecíamos - disse ainda o senador.

No início de dezembro, senadores acrianos e o presidente da Comissão de Relações Exteriores, Ricardo Ferraço [PMDB-ES], visitaram as cidades onde estão os imigrantes. Na época, havia 500 haitianos em Brasiléia, hoje são mais de 1.200. Para Ferraço, isso mostra a necessidade de uma ação urgente do governo federal.

- Se o governo federal não atuar de modo a inibir essa imigração ilegal, vamos ter muitos problemas na região, porque o estado do Acre não tem condições, sozinho, de sustentar essa pressão que está sofrendo em razão da imigração haitiana - disse o senador.

Ricardo Ferraço informou que a CRE vai procurar o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, em busca de uma solução efetiva para a situação que considera já estar fora de controle.


* Com informações da Agência Senado
Publique no Google Plus

Publicado por Jornalismo

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Comentar no Site
    Comentar usando o Facebook

0 comentários :