Educação Massificada

Desde o achamento do Brasil já estava escrito que a educação na Terra da Vera Cruz seria direcionada para as classes dominantes, antes inclusive, de saber se a nova terra seria uma ilha, um arquipélago ou mesmo um continente, uma coisa já era certa a educação seria para os setores abastados da sociedade.

Os Jesuítas tinham uma noção bem precisa sobre isto, Educação aos colonos e catequese aos índios, assim povoados, vilas e cidades foram construídas, o poder de Portugal assegurado com o controle do conhecimento ao tempo de arregimentar os novos mandatários que rezavam de forma plena de total subserviência ao interesses portugueses.

Assim, a educação sistemática no Brasil durante o seu longo período na história brasileira foi tão somente uma forma de privilegiar os privilegiados.

O Longo período da Escravidão deixa esta política bem clara e atuante na sociedade Brasileira. Mais recentemente na Ditadura Militar o mesmo formato teve continuidade, pois a sociedade brasileira suportava toda esta carga educacional dirigida tão somente aos detentores do poder econômico e político.

Porém no período mais recente, enfim, a educação passou a ser massificada e universalizada, ou seja, a sociedade  começou a ter acesso a educação que deixou de ser um privilegio de poucos para ser uma bem comum a todos.

Mesmo com este avanço de valia maior para o desenvolvimento e crescimento do Brasil, ainda há a cantilena de que os índices de aprendizagem estão baixos, que a educação vai mal, que isto, que aquilo, ora toda uma massa humana excluída do processo educacional, por conta de uma exclusão calculada e direcionada a deixar sempre a porta fechada para os menos favorecidos, agora já, com a porta escancarada de uma educação para todos, haverá sempre os reacionários com a determinação de voltar a educação  “velha e boa” só que direcionada aos detentores do poder econômico e político. 

A Educação enquanto processo de humanização social vai bem, o que precisa isto sim e da lapidação do processo educacional vigente, oportunizar a massa excluída do passado a integração plena na sociedade, o que não falta muito, porém o mais nocivo seria partir para uma política educacional voltada como no passado recente, uma educação de qualidade para a qualidade dos melhores da elite saudosista de reconquistar aquilo que ela considera como patrimônio exclusivamente seu – A Educação.


* Texto escrito e enviado por Luiz Domingos de Luna - Professor da Escola de Ensino Fundamental e Médio Monsenhor Vicente Bezerra – Aurora, Ceará [E-mail: falcaodouradoarte@hotmail.com].
Publique no Google Plus

Publicado por Jornalismo

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Comentar no Site
    Comentar usando o Facebook

0 comentários :