Frevo é destaque em exposição internacional

A Organização das Nações Unidas para a educação, a ciência e a cultura [UNESCO] promove de 28 de outubro a 20 de dezembro, em Paris, a exposição sobre o patrimônio imaterial do mundo. 

Em destaque está o frevo brasileiro, reconhecido como Patrimônio Cultural do Brasil pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional [IPHAN] em 2007 e como patrimônio mundial em 2012, pela Organização Internacional.  

Forma de expressão musical, coreográfica e poética que surgiu no final do século XIX no Carnaval de Pernambuco, o Frevo representa uma das mais ricas manifestações artísticas da cultura nacional e um símbolo da inventividade do povo brasileiro. 

O espírito por trás desta exposição é a crença da UNESCO de que a cultura deve ser considerada um elemento fundamental da sustentabilidade, uma fonte de significado e energia, uma fonte de criatividade e inovação, e um recurso para enfrentar os desafios e encontrar soluções adequadas. A exposição é organizada para comemorar o décimo aniversário da Convenção de 2003 para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial.

FREVO A origem do Frevo está associada à ocupação dos espaços públicos de Recife e Olinda e das relações sociais criadas nesses locais pelas bandas militares e suas rivalidades, escravos recém-libertos e a capoeira, a nova classe operária e sua inserção nos espaços urbanos. Os sentidos atribuídos ao Frevo estão ligados a esse momento de efervescência política e social pós-abolição, quando se deu o movimento republicano e a formação da classe trabalhadora. 

As denominações dos passos são até hoje associadas também ao universo do trabalho [alicate, serrote, tesoura, ferrolho, parafuso e martelo], em virtude das origens das agremiações na classe trabalhadora urbana. Assim, o Frevo expressa o protesto político e a crítica social em forma de música, dança e poesia, constituindo-se em símbolo de resistência da cultura pernambucana e expressão significativa da diversidade cultural brasileira.

É composto pela dança do Frevo, chamada de Passo, e pela musicalidade singular das orquestras de metais e orquestras de pau e corda. O Frevo-música e Frevo-dança são artes irmãs, uma sugere a outra e se complementam. Na tradição e expressão oral da poesia do Frevo, estão registrados lugares, épocas e a fala dos grupos sociais, inclusive a própria origem da palavra Frevo. Existem ainda as técnicas artesanais tradicionais de fabricação do estandarte, do flabelo e dos bonecos gigantes. Todos pertencentes ao sistema de manifestações que compõe o universo do Frevo.

A música do Frevo decorre da criatividade dos seus praticantes e nasceu da fusão de marchas, dobrados, maxixes, quadrilhas, polcas, peças do repertório erudito e outros estilos executados pelas bandas marciais e fanfarras. É uma música urbana, ligeira e pujante. O ritmo foi popularizado pelas gravações em disco e pelo rádio, a partir da década de 1930. Do repertório eclético das bandas de música e os vários estilos musicais, resultaram três modalidades: Frevo de rua, Frevo canção e Frevo de bloco.


* Com informações da Ascom do IPHAN
Publique no Google Plus

Publicado por Jornalismo

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Comentar no Site
    Comentar usando o Facebook

0 comentários :