Fortaleza sedia I Festival Internacional de Biografias

Entre os dias 14 e 17 de novembro, Fortaleza sediará o I Festival Internacional de Biografias – FIB, com apoio do Governo do Estado, por meio da Lei Estadual de Incentibvo à Cultura, e que tem o objetivo de constituir uma esfera de debates em torno da arte biográfica literária e audiovisual. 

Pensado há cerca de três anos, o I FIB acontece no meio da polêmica em torno da liberação das biografias não autorizadas, cujo desenrolar, coincidentemente, ocorre três dias depois, quando o Supremo Tribunal Federal decidirá sobre o assunto que vem mobilizando a intelectualidade do país.

“Histórias de vida” é a temática orientadora da programação do FIB, que prevêdebates, exibição de filmes, exposição, oficinas e shows musicais. Ambientado no Estoril, na Praia de Iracema, onde será instalada uma estrutura de tendas para o evento, o I Festival Internacional de Biografias reunirá em Fortaleza os mais importantes biógrafos brasileiros da atualidade no Seminário Histórias de Vidas. Terá também uma Mostra de Cinema com produções sobre a vida de artistas centrais do cenário musical brasileiro: Ney Matogrosso, Jards Macalé e Jorge Mautner, e o filme sobre a vida do cineasta documentarista Sílvio Tendler, o grande homenageado do FIB; Exposição “Por entre Biografias”;Feira do Livro,com a participação de editoras e livreiros; além de oficinas sobre a arte biográfica e shows fechando a programação diária.

A curadoria da Mostra Literária ficou a cargo do jornalista Mário Magalhães, ganhador do Prêmio Jabuti 2014 de Melhor Biografia do ano, com o livro“Marighella – o guerrilheiro que incendiou o mundo”. Mário Magalhães define o conceito da curadoria: “Idealizei uma programação com que eu, devorador de biografias, sempre sonhei: os grandes autores conversando sobre seu ofício. Embora a discussão sobre o marco legal da produção biográfica vá ter óbvia relevância, a reflexão sobre 'como se faz' e 'por que se faz' não se diluirá”, observa.

O curador fez uma seleção de 11 biógrafos e autores de perfis consagrados ou que preparam sua estreia no gênero, que debaterão a produção biográfica em livros. São eles, em ordem alfabética: Fernando Morais (autor de Olga, Chatô: O Rei do Brasil, Montenegro, O Mago); Guilherme Fiuza (Meu nome não é Johnny,Bussunda, Giane); Humberto Werneck (Chico Buarque: Tantas palavras – Todas as letras & reportagem biográfica de Humberto Werneck, O santo sujo: A vida de Jayme Ovalle); João Máximo (Gigantes do futebol brasileiro - com Marcos de Castro, Noel Rosa: Uma biografia - com Carlos Didier, João Saldanha: Sobre nuvens de fantasia); Josélia Aguiar (Jorge Amado: Uma biografia, a sair pela Editora Três Estrelas); Lira Neto (O poder e a peste: A vida de Rodolfo Teófilo, O inimigo do rei: Uma biografia de José de Alencar, Castello: A marcha para a ditadura, Maysa: Só numa multidão de amores, Padre Cícero: Poder, fé e guerra no sertão, Getúlio, tomos I e II); Lucas Figueiredo (biografia de Tiradentes, a sair pela Companhia das Letras, Morcegos negros: PC Farias, Collor, máfias e a história que o Brasil não conheceu, O operador: Como e a mando de quem Marcos Valério irrigou os cofres do PSDB e do PT); Luiz Fernando Vianna (Zeca Pagodinho, Aldir Blanc: Resposta ao tempo – Vida e letras, João Nogueira: Discobiografia); Paulo Cesar de Araújo (Roberto Carlos em detalhes); Regina Zappa (Hugo Carvana; Cancioneiro Chico Buarque, vols. 1, 2 e 3; Para seguir minha jornada: Chico Buarque; Gilberto bem perto - com Gilberto Gil); e Ruy Castro (O Anjo Pornográfico: A vida de Nelson Rodrigues; Estrela solitária: Um brasileiro chamado Garrincha; Ela é carioca: Uma enciclopédia de Ipanema;Carmem: Uma biografia).

FIB : UMA CONSTRUÇÃO DE TRÊS ANOS Resultado de uma série de conversas entre o sociólogo Paulo Linhares e a jornalista Bete Jaguaribe, nos últimos três anos, o I Festival Internacional de Biografias acontece em 2013, no âmbito de uma acirrada polêmica que mobiliza o país: a liberação das biografias não-autorizadas. O sociólogo Paulo Linhares observa que é uma coincidência oportuna. 

A reflexão sobre as escritas das histórias de vida já pontuava nossas áreas de interesse intelectual. A discussão sobre biografias chega atrasada. O país precisa se definir em torno desta questão, que é – na verdade – um debate sobre a história do país”. Nos últimos anos, Paulo Linhares esteve  envolvido na tese de doutorado sobre José de Alencar, que gerou o livro biográfico “O profeta e o chocolate”, que será lançado em novembro.

A jornalista Bete Jaguaribe lembra que a arte biográfica ainda não tinha um espaço de reconhecimento e de distinção, na agenda de eventos do país. “Pensamos o FIB para atender a esta demanda. O cinema e a literatura consolidam-se como os principais campos de produção das memórias e histórias individuais, que são, na verdade, histórias sobre a nossa experiência social. Portanto, histórias que precisam ser escritas, conhecidas e refletidas”, acentua a jornalista.

O I Festival Internacional de Biografias – FIB é apresentado pelo Ministério da Cultura e Banco do Nordeste, numa realização do Instituto de Referência da Imagem e do Som - IRIS e Governo Federal. Produção Executiva: Quitanda das Artes. Promoção: Prefeitura Municipal de Fortaleza. Apoio Cultural: Secretaria Estadual de Cultura, via Lei Estadual de Incentivo à Cultura. Agradecimentos: Guanabara e Coelce.

MOSTRA DE CINEMA Como um festival pensado também na relação livro x audiovisual, grandes diretores que levaram ao cinema a vida de personalidades da nossa história estarão na MOSTRA DE CINEMA com a exibição de filmes seguida de debate. São eles: “Olho Nu”, de Joel Pizzini, sobre a vida de Ney Matogrosso (debate com o diretor), “Jards”,de Eryk Rocha, sobre a vida de Jard Macalé, “O filho do Holocausto”, de Pedro Bial e Heitor D’Allincourt (debate com o biografado Jorge Mautner) e “A arte do Renascimento – uma cinebiografia de Silvio Tendler”, de Noilton Nunes.

SHOWS À noite o FIB será musical, com shows de artistas renomados na cena local e nacional, entre eles Jorge Mautner e Jards Macalé, ambos já biogrados em documentários audiovisuais, “O filho do Holocausto” e, de Eryk Rocha, “Jards”.

EXPOSIÇÃO Na Sala Multiuso do Estoril a exposição “Por entre Biografias” apresenta uma perspectiva de exercício do olhar do outro sobre o artista. Nela, a artista cearense Maíra Ortins abordar a vida e a obra de artistas visuais retratados no cinema e na literatura. A exposição contará com quatro vídeos, com duração de 1 minuto em média, que farão uma releitura das biografias filmadas de quatro importantes artistas: Frida Khalo, Pablo Picasso, Basquiat e o cearense Antonio Bandeira. Além dos vídeos, serão expostas fotografias dos artistas, obras e fragmentos de textos sobre os livros de Andy Warhol, Marcel Duchamp, Marina Abramovic, Helio Oiticica e Lygia Clark.

A exposição também é interativa, contará com uma “cabine de depoimentos” na qual os visitantes terão a oportunidade de se colocar como biógrafos de pessoas importantes em suas vidas ou mesmo relatar fatos marcantes de sua vida pessoal. Segundo Maíra Ortins, é o momento de reflexão sobre este olhar que se projeta no outro ou nosso olhar sobre nós mesmos. “Histórias de Vida” poderá ser visitada nos quatro dias das 14h às 22h.

FEIRA DO LIVRO No calçadão do Estoril a Feira do Livro será composta, em sua maioria, por estandes de editoras nacionais e locais e livreiros. Entre os expositores: Armazém da Cultura, livraria Feira do Livro, livraria Lua Nova, Cia das Letras, La Selva, Saraiva, Sebo Gibiteca, Fundação Demócrito Rocha, Paulinas Livraria e Expressão Popular. Os principais livros dos autores convidados estarão à venda. A feira estará aberta das 15h às 22h.


* Com informações da Ascom da Secult e Assessoria de Imprensa da Dégagé
Publique no Google Plus

Publicado por Jornalismo

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Comentar no Site
    Comentar usando o Facebook

0 comentários :